FOOD SERVICE

Setor de "food service" projeta um avanço de até 15% no ano



02.06.2010 - 12:20

Os dados do setor de food service no País têm crescido num ritmo acelerado nos últimos anos e, em 2010, a previsão é de mais crescimento. Segundo Enzo Donna, diretor da ECD Consultoria, especializada na área, nos últimos cinco anos o setor vem crescendo exponencialmente e este ano deve registrar avanço de até 15%. Diariamente, 60 milhões de brasileiros realizam suas refeições fora de casa, ou seja, em torno de 32% da população do País, resultando em 22 bilhões de transações comerciais e faturamento em torno de R$ 420 milhões por dia, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Segundo o diretor executivo da Associação Nacional de Restaurantes (ANR), Alberto Lira, só no ano passado, as redes independentes do food service apresentaram crescimento de 9,7%, enquanto as franquias cresceram 8,5%. "Em 2010 a expectativa é de que, com a retomada do setor no pós-crise, todos os segmentos de alimentação fora do lar apresentem expressivo crescimento."

O clima de confiança dos investidores do setor foi de 94,4% no mesmo período de 2009, com expectativas de aumentar em até dois pontos percentuais neste ano, segundo pesquisa feita pela ECD. Os restaurantes independentes foram os que mostraram mais interesse em investir no setor. Atenta a essa onda de crescimento do setor, a empresa Compass Group se consolida como líder mundial em serviços de alimentação em mais de 50 países e já cresceu 3% este ano.

Anualmente, com 386 mil colaborares serve quatro bilhões de refeições em 40 mil unidades operacionais no mundo, o que gera um faturamento de R$ 13,4 bilhões de libras anuais. De seu market share, 16% são da marca GRSA; 9% entre Sapore e Puras e 8% para Sodexo. A GRSA, empresa de alimentação com o maior número de unidades franqueadas no Brasil, faturou entre 2008 e 2009 o montante de R$ 1,5 bilhão, servindo um milhão de refeições diariamente em cerca de 1.800 unidades, o que dá um consumo mensal de 32,5 mil toneladas de alimentos.

De acordo com os números do último levantamento da Associação Brasileira da Indústria de Alimentos (Abia), estima-se que o setor fature R$ 154 bilhões por ano dos mais de dois milhões de estabelecimentos, gerando emprego para aproximadamente seis milhões de brasileiros. Segundo Donna, da ECD, em 2009 o setor gastou em torno de R$ 65,2 bilhões com a indústria de alimentos, entre matérias-primas e insumos.

Um dos principais fatores desse crescimento, segundo ele, é que 44% da população economicamente ativa são de mulheres que trabalham fora de sua residência, além do próprio crescimento dos grandes centros, o que faz com que as pessoas trabalhem cada vez mais longe de sua casa. "É um potencial de consumo muito grande, e não só o varejo deve ficar de olho nas oportunidades, mas principalmente a indústria, pois 35% dos gastos de um restaurante correspondem à matéria-prima." O setor de refeições fora de casa, ou food service, continua crescendo a ritmo acelerado em 2010 e a previsão é de avanço de 15% ante 2009, segundo Enzo Donna, diretor da ECD Consultoria, especializada na área. Segundo o diretor executivo da Associação Nacional de Restaurantes (ANR), Alberto Lira, no ano passado as redes independentes do food service apresentaram crescimento de 9,7%, enquanto as franquias cresceram 8,5%. "Para 2010, a expectativa é de que, com a retomada do setor no pós-crise, todos os segmentos de alimentação fora do lar apresentem expressivo crescimento."

Fonte: Newsletter Cozinha Profissional – 1/06/10