FOOD SERVICE

Gastronomia investe em e-commerce



08.12.2011 - 11:48

Com o objetivo de atrair mais clientes, sobretudo aqueles que pertencem à Geração Y, o setor de bares e restaurantes tem investido cada vez mais em tecnologia. Com a popularização dos serviços online, os donos de restaurantes passaram a criar cardápios digitais, que permitem a visualização dos pedidos, através de um touchscreen na mesa, delivery e sistema de reservas online. É o caso do portal www.ComerNaWeb.com.br, considerado uma praça de alimentação virtual.

Os pedidos de delivery já podem ser feitos até pelo Facebook. O aplicativo da rede social permite que o consumidor escolha os cardápios, bebidas e ainda compartilhe a sugestão com os amigos, tudo em contato direto com os estabelecimentos. Com a nova porta para o food service, desde o início de 2011, o número de restaurantes que adotou a inclusão digital aumentou em 35%, segundo o portal www.ComerNaWeb.com.br. “A internet passou a ser uma ferramenta de expansão inteligente e agora está chegando ao setor gastronômico. Os empresários que têm visão do futuro já estão marcando presença no território mais valioso da rede que é o Facebook”, afirma Márcio Blak, diretor do portal.

De acordo com um levantamento feito pelo portal, apesar do comércio virtual aumentar em 25% as vendas dos produtos, ele ainda é pouco utilizado pela área gastronômica. No Rio de Janeiro, dos 5.500 restaurantes e 7.500 bares, apenas 30% têm endereço virtual. De olho na tecnologia, restaurantes do Rio e São Paulo acompanham as principais novidades do mercado internacional. Entre as inovações está uma da Inglaterra, onde há um recurso para quem gosta de comer com os olhos. O cardápio é projetado digitalmente para que o cliente faça o pedido através de uma interface sensível ao toque na própria mesa. Os alimentos são projetados em um prato virtual e o cliente consegue montar a sua escolha sem precisar recorrer ao garçom. Outra modernidade é uma garçonete-robô na Tailândia.

No Brasil, bares e restaurantes investem nessas tecnologias preparando-se apara atender o grande público que visitará o País durante a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada no Rio, em 2016. Aqui, os estabelecimentos utilizam-se dos tablets para que o cliente visualize e possa fazer o seu pedido mais rapidamente. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação, entre 2001 e 2010, o Food Service expandiu 235,1%, movimentando estimados R$ 1.093 trilhão.

Sócio do restaurante carioca Azzurra, Sérgio Silva, é um dos primeiros na Barra da Tijuca a investir em tecnologia sem abdicar do tradicionalismo. “A comunicação com o cliente é muito importante, pos isso, essa opção de combinações de cardápios digitalmente, pode fazer a diferença. A nossa carta de vinhos digital permite interação, em que o consumidor tem acesso às opiniões via internet dos apreciadores por todo mundo”, explica o proprietário do restaurante, ressaltando ainda que após a degustação, há uma pesquisa de opinião também sobre o restaurante. Outra vantagem no serviço online, além do conforto e praticidade, vai direto ao bolso do consumidor. Os serviços de delivery virtual são até 30% mais baixos que os tradicionais.

O engenheiro Sergio Rogenfisch, utiliza o serviço de reservas online com frequência. “Sou casado e tenho uma filha. Então, prefiro garantir o conforto e evitar fila na porta do restaurante nos fins de semana, garantindo um atendimento ‘vip’, mesmo quando a demanda é maior”, afirma. Já a empresária, Solange Ávila não abre mão de contar com os recursos do delivery virtual. Com dois filhos, ela conta que a ferramenta é uma solução para quem está com pressa e não sabe a quem recorrer. “Não preciso ficar procurando imãs de geladeira e enfrentando telefone ocupado. Às vezes, preciso alimentar meus filhos e não tenho tempo para procurar a melhor opção. A praça de alimentação virtual reúne tudo em um só lugar e ainda conto com descontos exclusivos”.

Para possibilitar que os donos dos estabelecimentos tenham acesso a essa inclusão digital de forma eficiente e a baixo custo, o diretor do site, Márcio Blak está lançando a opção www.MeuComerNaWeb.com.br. “Ao invés de cada restaurante precisar pagar um domínio da internet, contratar alguém para criar o layout e arcar com as despesas de atualizações, oferecemos uma equipe de especialistas, que por R$ 85 mensais, dá todo o suporte e insere o estabelecimento na praça de alimentação virtual do ComeNaWeb”, explica.

Para conquistar estes “fregueses”, Blak oferece uma degustação do delivery online até dezembro. Os restaurantes que aderirem ao portal até a data ficam livres da taxa de adesão e deverão pagar apenas 5% de comissão sobre os pedidos efetuados pelo site. Em contrapartida, eles terão seu site ‘linkado’ ao portal de delivery.