BRASIL-ITÁLIA

Missão destaca oportunidades de investimentos



01.12.2016 - 03:24

No dia 25 de novembro, cerca de uma centena de empresários italianos dos setores Aeroespacial, Agronegócio, Ambiente/Energia, Automobilístico, Infraestrutura, ICT - Tecnologia de Informação e Comunicação se reuniram em São Paulo para uma missão multi setorial econômica no país. Realizada pela ITA - Italian Trade Agency (Agência para a Internacionalização das Empresas Italianas/ Departamento para a promoção de intercâmbios da Embaixada da Itália), a missão contou com a presença de líderes de algumas das mais importantes empresas italianas, que foram capitaneada pelo Vice-Ministro do Desenvolvimento Econômico da Itália, Ivan Scalfarotto. Também estiveram presentes a vice presidente da Confederação Nacional da Indústria Italiana (Confindustria), Licia Mattioli, o diretor do Comitê de Internacionalização da Associação Italiana de Bancos (ABI), Guido Rosa, e do diretor do departamento da ITA para a Coordenação da Promoção do Made in Italy, Giovanni Sacchi. O evento contou ainda com os apoios de Fiesp-Ciesp, Banco do Brasil, Febraban e das Agências Espaciais do Brasil e da Itália.

Para a diretora da ITA no Brasil, Erica di Giovancarlo, “o Brasil é destino complementar para a internacionalização das empresas italianas, tanto em termos de fluxos comerciais como de investimentos diretos, além de ser plataforma de acesso preferencial aos mercados da América Latina”.

As relações comerciais entre Brasil e Itália, segundo o Instituto Italiano de Estatísticas (Istat), destaca uma corrente comercial no valor de US$ 7,8 bilhões em 2015, projetando o Brasil como o principal parceiro comercial dos italianos na América Latina. Para os brasileiros, a Itália é o segundo principal parceiro comercial na Europa, depois da Alemanha, representando 2,2% de todo o comércio transacionado pelo Brasil. Entre 2010 e 2015, as exportações italianas para o Brasil registraram uma média anual de US$ 5,9 bilhões.

Ainda de acordo com números do Istat, mais da metade das exportações italianas para o Brasil (57%) são compostas por maquinários e produtos de elevado conteúdo tecnológico. No segmento de bens de capital, em particular, a Itália é o quarto principal fornecedor do Brasil, com uma quota de 7,8% do total das importações brasileiras na área. Em contrapartida, o Brasil fornece à Itália minérios, couro, madeira e materiais fibrosos, além de chá, café e especiarias. No ano passado, essa dinâmica comercial favoreceu a balança comercial italiana em US$ 727 milhões. No que se refere aos investimentos diretos estrangeiros, segundo o Censo de Capitais Estrangeiros no País realizado pelo Banco Central do Brasil, a Itália possui o oitavo (US$ 17,1 bilhões) maior estoque de capitais investidos no Brasil, divididos entre os setores de informação e comunicação (34,9%), indústrias extrativas e de transformação (26,1%), energia e gás (21,8%), transporte e armazenagem (6,3%) e outros (10,9%).