PÁSCOA 2018

Vendas devem crescer 3% em São Paulo



16.03.2018 - 03:50

Segundo a Federação das Câmaras Dirigentes dos Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP), lojas de chocolates e supermercados devem ter um aumento de até 3% nesta Páscoa. Para o período, comerciantes do estado continuam com previsões conservadoras, esperando um ticket médio mais baixo. “Estamos no começo do ano, cujo período é de acúmulo de contas. Por isso, vemos comerciantes com receio de fazerem grandes apostas para datas como a Páscoa, que tendem a favorecer mais o ramo de alimentação. No decorrer de 2018, teremos resultados mais positivos em outros setores. O mercado deve estar mais favorável para o crescimento do varejo esse ano”, afirma o presidente da FCDLESP, Mauricio Stainoff.

A pesquisa traz ainda dados das CDLs do estado que, afirma que as contratações temporárias podem ter números positivos nas principais cidades do estado, assim como expectativas melhores para as vendas. A CDL Santos-Praia prevê que as vendas de Páscoa podem impulsionar um crescimento igual ao ano passado, que obteve 3% de aumento. “Acreditamos em cerca de 50 vagas, com possibilidade de contratação dependendo da demanda e do desempenho do colaborador”, acredita o diretor de marketing da CDL, Zerri Torquato.

Já a CDL do Guarujá acredita que as vendas vão crescer em 2% se comparadas às de 2017. A auxiliar administrativa da CDL, Valmira Castro, afirma que os principais beneficiados nesta época são supermercados e lojas especializadas já que pretendem abrir cerca de 30 vagas para contratações temporárias.  Na Praia Grande, a visão de crescimento está mais otimista do que em outras regiões. A CDL da cidade acredita no aumento de 7% do volume de vendas durante o período.

Na região do ABC paulista, as vendas podem crescer em até 5% na Páscoa 2018. Os comerciantes esperam que os consumidores gastem em torno de R$ 100,00 e R$ 150,00 em supermercados e indústrias ligadas ao segmento alimentício, como doces e chocolates. “Há boas oportunidades de vagas temporárias em todo o ABC. Uma vez que o contratante tem a oportunidade de acompanhar o desempenho do terceirizado, há grande chance de efetivação, principalmente neste momento em que a economia está aquecendo”, afirma o presidente da CDL de São Bernardo do Campo, Marcello Alexandre.

A região Central do estado de São Paulo, como Bauru, prevê um pequeno crescimento de 3% nas vendas. Na região de Jaú, a expectativa da CDL da cidade é de cerca de 50 vagas temporárias. O presidente da entidade, Alexandre dos Santos, afirma ter possibilidade de efetivação dependendo do desempenho de cada contratado. 

Com previsão de crescer apenas 1% quando comparado a 2017, a CDL de Cruzeiro não espera que o consumidor esteja aberto a grandes gastos neste período. “Esta pode ser a pior Páscoa desde 2008”, afirma o presidente, Breno Santiago. Em relação às contratações temporárias, Santiago afirma que podem abrir cerca de 20 vagas em supermercados da região.